sexta-feira, 17 de abril de 2009

Só para rir um pouco.....


Os signos e as Lâmpadas...

Carneiro
P: Quantas pessoas do signo Carneiro são necessárias para mudar uma lâmpada?
R: Apenas uma, mas serão necessárias muitas lâmpadas.
Touro
P: Quantas pessoas do signo Touro são necessárias para mudar uma lâmpada?
R: Nenhuma, os Touros não gostam de mudar nada.
Gémeos
P: Quantas pessoas do signo Gémeos são necessárias para trocar uma lâmpada?
R: Duas (é claro). Vai durar o fim-de-semana inteiro, mas quando estiver pronto a lâmpada vai fazer o serviço da casa, falar francês e ficar da cor que você quiser.
Caranguejo
P: Quantas pessoas do signo Caranguejo são necessárias para trocar uma lâmpada?
R: Somente uma. Mas andará três anos a fazer terapia para o ajudar a passar pelo processo.
Leão
P: Quantas pessoas do signo Leão são necessárias para trocar uma lâmpada?
R: Um Leão não troca lâmpadas, a não ser que ele segure a lâmpada e o mundo gire em torno dele.
Virgem
P: Quantas pessoas do signo Virgem são necessárias para trocar uma lâmpada?
R: Vamos ver: uma para girar a lâmpada, uma para anotar quando a lâmpada queimou, e a data em que ela foi comprada, outra para decidir de quem foi a culpa da lâmpada ter sido queimada e perguntar, dez para decidir como remodelar a casa enquanto os restantes trocam a lâmpada.
Balança
P: Quantas pessoas do signo Balança são necessárias para trocar uma lâmpada?
R: Bom, na realidade eu não sei. Acho que depende de quando a lâmpada foi queimada. Talvez só uma, se for uma lâmpada comum, mas talvez duas se a pessoa não souber onde encontrar uma lâmpada, ou ....
Escorpião
P: Quantas pessoas do signo Escorpião são necessárias para trocar uma lâmpada?
R: Mas quem é que quer saber? Porque é que queres saber? És polícia??
Sagitário
P: Quantas pessoas do signo Sagitário são necessárias para trocar uma lâmpada?
R: O sol está a brilhar, é cedo, nós temos a vida inteira pela frente, e estás preocupado em trocar uma estúpida lâmpada?
Capricórnio
P: Quantas pessoas do signo Capricórnio são necessárias para trocar uma lâmpada?
R: Nenhuma. Os Capricórnios não trocam lâmpadas - a não ser que seja um negócio lucrativo.
Aquário
P: Quantas pessoas do signo Aquário são necessárias para trocar uma lâmpada?
R: Vão aparecer centenas, todas competindo para ver quem será o único a trazer a luz ao mundo.
Peixes
P: Quantas pessoas do signo Peixes são necessárias para trocar uma lâmpada?
R: O quê?! A luz está apagada?!

A Exposição de Darwin...


No dia 5 de Abril, resolvi ir ver a exposição da Calouste Gulbenkian, sobre Darwin e fiz-me acompanhar da família e de uma colega nossa que me veio de Coimbra fazer uma visita, como tínhamos acabado de fazer o trabalho que continha o estudo do desenvolvimento nada melhor do que ir ver um pouco ao vivo.

Foi muito giro e os miúdos adoram! A minha filhota até hoje fala no Darwin e tem 5 anos, pois gostava que ele estivesse vivo para lhe fazer umas perguntas considerando um aventureiro achando que ele teve uma vida magnífica cheia de descobertas.

Aqui deixo umas fotos e o link de uma visita virtual para quem está muito longe e não pode ter o prazer de ir ver.












http://www.gulbenkian.pt/index.php?section=119&artId=1632

sexta-feira, 3 de abril de 2009

O porquê do Blog?


Para a realização de um trabalho da unidade curricular, foi-nos pedido uma construção de um blog que fala-se das teorias do desenvolvimento humano ao longo do tempo, em que engloba-se 5 questões, um post sobre a psicologia do desenvolvimento com a educação ao longo da vida e outro post para abrir a discussão sobre o desenvolvimento humano fazendo do seu ponto de partida um ditado popular. Vamos partir para esta aventura de dar respostas a algumas questões que muitas vezes pensamos que seriam difíceis de responder, mas que se colocam no nosso pensamento inúmeras vezes. Iremos ver se conseguimos objectar de forma a ajudar no nosso conhecimento como indivíduos racionais e emotivos, em que aprendizagem irá fazer sempre parte nossa vida.


Todos os visitantes deste blog serão bem-vindos em deixar aqui a sua opinião, espero que este tema seja um contributo para que possam ajudar reflectir um pouco sobre o nosso desenvolvimento desde o nosso aparecimento como homens.

As minhas 5 questões...


1-Como evoluir no futuro, de forma a conseguir ter uma maior noção de preservação não só da nossa espécie mas também de todas as outros seres que habitam no planeta?


2-Para onde nos levará as alterações no nosso código genético no futuro?


3-Como seres humanos qual a razão de nos acharmos superiores em relação as outras espécies?


4-Não enaltecemos as diferenças entre iguais, conseguiremos faze-lo no futuro?


5-Que influência tem o nosso código genético na nossa forma de ser, agir e pensar?

Psicologia do desenvolvimento na educação ao longo da Vida


Como desenvolvemos e conciliamos a nossa educação ao longo da nossa vida?


Dentro da psicologia do desenvolvimento, realço neste caso o estudo da inteligência e da motivação intelectual como um dos factores preponderantes no desenvolvimento humano e civilizacional.

Sendo o pressuposto de que a inteligência humana seja um valor estático e imutável, um pressuposto já de si e a meu ver pouco inteligente e ultrapassado existe agora uma nova corrente que coloca a inteligência como um valor não apenas para ser explorado mas também um valor que se pode e deseja aumentar e estimular visto que o cérebro humano, á semelhança de outros órgãos, também ele melhora com a prática e com o trabalho e acima de tudo com a motivação.

Sendo o ser humano um ser intelectual por natureza e prático por necessidade, a sua intelectualidade tal como o seu físico nem sempre nos dão as respostas mais eficazes para a sua própria optimização é mais fácil ver um jogo de futebol ou ver uma telenovela do que estudar trigonometria, ou fazer uma hora de corrida intensa, no entanto aquilo que nos prega ao televisor e nos deixa inactivos, tanto intelectual como fisicamente, faz-nos também cair na rotina, ajudando-nos a perder faculdades intelectuais e físicas.

É aqui que a educação e motivação intelectual têm de ser trabalhadas, deve existir uma consciência aprofundada e enraizada da importância da inteligência e do trabalho a realizar no sentido de maximizar essa mesma inteligência ou mesmo elevá-la a outro nível, através de uma interacção positiva com os pais e professores desde tenra idade, sendo na maior parte das vezes as razões do insucesso escolar o facto de o aluno deparar-se com dilemas diários difíceis de superar.

É necessário não só munir os professores e pais de ferramentas que lhe permitam, dar ao aluno uma oferta mais apetecível de conhecimento e de estimulação da inteligência, importa também munir os alunos de armas que lhe permitam um melhor auto-conhecimento, dos seus próprios processos cognitivos, de uma auto-regulação eficaz dos altos e baixos da vida e da sua própria auto-estima.

Pensar na inteligência como algo estático e imutável, é colocar o próprio professor numa situação passiva, se pelo contrario pensarmos numa inteligência modificável e construtivista poderemos desde tenra idade mudar os conceitos a seguir e direccionar o aluno para uma potenciação de toda a sua capacidade cognitiva e encorajando-o a testar os seus limites e mais importante ainda, encorajando-o a supera-los.

Basta ver que um homem de uma sociedade moderna do século 21, habituado a trabalhar no seu computador com anos de escolaridade bastante mais alargados que os seus antecessores, poderá mesmo acabar por ter uma inteligência e uma cultura geral ao nível do mundo que o rodeia.

Mas não é apenas na infância ou na adolescência que se pode trabalhar este conceito da inteligência construtivista, é também na idade adulta e principalmente na sociedade moderna que cada vez mais se exige do individuo obrigando-o a evoluir e a melhorar a sua capacidade intelectual e de adaptação. Sendo neste caso a formação um dos melhores veículos para aumentar essas capacidades.

Psicologia do Desenvolvimento e os provérbios

Devemos viver o Presente, estudando o Passado e preparando o Futuro.”



Nem só da ciência se poderá tirar conhecimentos sobre o nosso desenvolvimento, poderemos sempre recorrer aos ditados populares, onde encontramos alguns saberes em que se aplica o senso comum, é claro que não termos uma informação sobre o assunto, de forma a conseguirmos experimenta-la ou conseguir perceber de onde veio a sua origem. Mas poder-se-á provar que alguns destes provérbios ainda poderão ter aplicação embora outros já tenham sofrido alterações devido à forma como o nosso meio social evoluiu tornando-se obsoletos.
Irei partir do provérbio que deu entrada a este meu post, deveremos viver o Presente, será que aprendemos a viver o Presente? A sociedade em que nos encontramos com tudo a evoluir a velocidade luz, vividas a correr, conciliar tudo e nada ao mesmo tempo, pensar e reflectir sobre o presente e saber vivê-lo é que é difícil de aprender.

Estudar o Passado, poderemos fazemo-lo na escola nas aulas de história ou ciências, mas aprender com os nossos antepassados através dos seus erros e das suas proezas até mesmo com o nosso passado e da forma como o vivemos, saber reflectir sobre o mesmo e conseguir aprender através dele será sempre o mais difícil de conseguir.

Estudar os acontecimentos e informações do passado para melhor compreender o presente e melhorar o futuro, e poderemos verificar que foi assim que Charles Darwin o fez, estudar o passado de forma a conseguir produzir uma tese fundamentada em conhecimentos de como poderiam evoluir as espécies, mas principalmente as suas origens, basicamente conseguiu mudar o mundo ao dar a conhecer as suas teorias sobre as origens do Homem veio contribuir de forma indirecta para uma evolução no campo da psicologia do desenvolvimento, ao dar a conhecer comportamentos semelhantes entre espécies, o conhecimento do funcionamento da mente, as diferenças entre a mesma espécie e o estudo das emoções, tudo isto advém do conhecimento de um presente que agora é um passado.

Futuro como o preparar? Conseguiremos aplicar os nossos conhecimentos do passado, evoluindo para um futuro mais capaz procurando não cometer os mesmos erros? Poderemos aplicar outro ditado popular dizendo o “Futuro a Deus pertence” mas teria uma aplicação mais no contexto religioso, e não tanto cientifico.

Sabedoria popular ou terá alguma base cientifica? Uma aprendizagem popular que contem um fundo de razão, com uma aplicação bastante realista e actual, ajudando a compreender o nosso Passado aprendendo, a saber viver o presente e aplicar estes dois no futuro, aplicando os nossos conhecimentos num desenvolvimento contínuo e produtivo.

Labels